terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Eu desejo...

Eu desejo que você desorganize sua vida, BAGUNCE TUDO,
 pare de escolher a roupa que vai usar amanhã e coloque o que te der na telha quando acordar. Desejo que você deixe de se programar e que não 
almoce todo dia no mesmo lugar. 
Que você saia completamente da rotina e coma o que quiser sem culpa. 
Desejo que você marque mil encontros de última hora e que não
 fique tão bitolado em academia.
 Que você faça caminhos diferentes, descubra novos sabores, 
novas cores, novos lugares e que um dia, SE DEUS QUISER, entenda que viver está em tudo aquilo que você faz de última hora.
 Paula Cassim

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Viva - A Vida é uma Festa




Oi pessoal! Assisti Viva- A Vida é uma Festa e vim aqui compartilhar com vocês o que achei do filme.
Se você ainda não assistiu fique tranquilo (a). Aqui não tem spoiler

Sinopse: Miguel é um menino de 12 anos que quer muito ser um músico famoso, mas ele precisa lidar com sua família que desaprova seu sonho. Determinado a virar o jogo, ele acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos. A aventura, com inspiração no feriado mexicano do Dia dos Mortos, acaba gerando uma extraordinária reunião familiar.
Dirigido: Lee Unkrich, Adrian Molina
Gênero:
Animação, Aventura e Fantasia (105 min)
Classificação Indicativa: livre
Lançamento: 04 janeiro de 2018

Distribuidora: Disney / Buena Vista

 Resenha | Opinião

Sou apaixonada por desenho e também por conhecer outras culturas.
A Vida é uma Festa, mostra a cultura mexicana, suas tradições familiares.
Movido pelo sonho de ser um grande artista, o garotinho Miguel Rivera cresce em uma família mexicana na qual a música é tabu há muitas gerações.
No passado, seu tataravô abandonou o lar para se dedicar à carreira musical e, desde então, qualquer tipo de melodia ou instrumento foram banidos de sua casa.
Na esperança de se tornar um astro, Miguel visita o túmulo de seu ídolo, o cantor Ernesto de la Cruz, e acaba transportado ao Mundo dos Mortos, onde tem a chance de iniciar seu grande sonho e conhecer os mistérios que envolvem seus ancestrais.
 Cores vibrantes e muito movimento se unem a uma trama que se passa durante o Dia de Los Muertos, uma das mais importantes celebrações mexicanas. Outros retratos das tradições do país também estão presentes no filme por meio de ícones culturais consagrados, seja no vigor dos mariachis, seja na divertida participação especial da pintora Frida Kahlo -- ou o que seria uma versão dela em outro "plano".
A propósito, este é outro ponto interessante de Viva. Livre de definições do que seria o Céu e o Inferno, o filme apresenta uma espécie de plano espiritual por onde os personagens transitam, solução está que ajuda a abordar um tema pesado como a morte de uma maneira leve, delicada e lúdica para o público infantil -- e não menos interessante e criativa para o público adulto.
O além-túmulo é definido pela ideia de que uma pessoa só morre quando cai no esquecimento. Por este motivo, os esqueletos que vagam pelas ruas e festas do Mundo dos Mortos dependem da memória e do carinho que os familiares, ainda em vida, os dedicam. Na luta entre conseguir a aprovação da família e seguir os próprios sonhos, Miguel precisa aprender a reconectar o apoio e afeto que restou entre os Rivera, e é aqui que acontecem alguns dos momentos mais tocantes da história.
Conhecer a família de Miguel é uma jornada deliciosa. Uma parte dela está no Mundo dos Mortos, nos esqueletos de tias e tios de personalidades distintas, com destaque para a matriarca representada pela tataravó que, apesar dos traumas de uma vida ingrata, foi a responsável por salvar o sustento da família aos transformá-los em uma renomada geração de sapateiros.
 

    Outro núcleo familiar de Miguel se encontra no mundo dos vivos, formado pelos pais e avó protetores, um cãozinho atrapalhado e a amável bisavó, cujas doçura e pureza são capazes de emocionar até o último minuto do filme. É um alívio perceber que Viva consegue trabalhar tão bem tantos personagens distintos, além de trazer à superfície valores muito mais complexos do que se percebe à primeira vista.
O longa trata de assuntos como: cultura, morte, perdão, família, sonhos, velhice e principalmente afeto.
A alegria está presente por todo o longa, que garante muitas risadas e emoções.
Eu assistiria de novo e de novo e de novo...rs...
Vocês assistiram Viva a Vida é uma Festa? O que acharam?
 



quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

A soma de Todos os Afetos



A menina que fomos precisa entender que às vezes terá que descer 
da torre sozinha e tratar de ser feliz. 
E que dragões vão aparecer ao longo do caminho
 e ela terá que enfrenta-los com disposição e espirito guerreiro, 
entendendo que ninguém detém o poder da felicidade alheia. 
Essa formula é individual e a receita exclusiva.
Quando a mocinha aprender que a vida fora da torre pode 
ser mais divertida e prazerosa, conseguirá identificar seu príncipe
 por trás das máscaras.
Ou nunca encontrará esse príncipe e saberá lidar bem com isso,
 pois fará sua criança entender que encontrar 
alguém nunca foi o mais importante.

- A Soma de Todos os Afetos-